ACESSIBILIDADE | ALTO CONTRASTE | MAPA DO SITE
TAMANHO DA FONTE: A- | A+

NOTÍCIAS Voltar >

MINERVA FOODS, UM ALENTO À ECONOMIA MIRADOLENSEMINERVA FOODS, UM ALENTO À ECONOMIA MIRADOLENSE

Publicado em 16/06/2017, Por Assessoria de Comunicação Amaury Dantas

Após uma longa espera de 1 ano e 11 meses, o município de Mirassol D’Oeste volta a reatar uma parceria com a empresa Minerva Foods Company. Na manhã do dia 13 de Junho de 2017 às 11H30, MARINEZ CAMPOS prefeita interina, recebeu em seu gabinete a diretoria da planta frigorífica local; entre os representantes do grupo estavam: LUÍS RICARDO ALVES LUZ, Coo Beef Brasil/Colômbia; DIEGO RIBEIRO GONÇALVES, Gerente Executivo Industrial e o Assessor Jurídico Dr. EDER PIRES.

Na pauta do encontro, o tema era uma possível volta das atividades do frigorífico em Mirassol D’Oeste, haja vista seu fechamento em Julho de 2015 que ocasionou a rescisão de contratos de 1000 empregos diretos e indiretos, e que se transformou em uma grave crise econômica no município, contudo, este procedimento fazia parte de uma estratégia de mercado da empresa por conta de incertezas na economia e da crise política estabelecida no país.

LUÍS RICARDO ALVES LUZ, Diretor da planta de Mirassol D’Oeste, justificava à prefeita interina que a empresa já algum tempo vinha negociando a reabertura com o Governo do Estado, junto ao Ministério da Agricultura, mas que ainda haviam pontos a serem tratados e definidos por parte dos acionistas e da direção geral da empresa. A reunião se estendeu ao longo de 50 minutos, onde os representantes do grupo pontuaram tópicos relevantes, a exemplo de se fazer um estudo bem elaborado para a reabertura da planta, que segundo LUÍS RICARDO ALVES LUZ, não faz sentido um investimento da ordem de R$ 150 Milhões continuar inoperante e se deteriorando com o passar do tempo, e que será necessário um investimento em torno de R$ 20 Milhões para o recomeço das atividades operacionais com troca de equipamentos, manutenção e treinamento de pessoal. Apesar da existência de mão-de-obra especializada no município e região. Enfim, viabilizar economicamente a unidade para que se possa ter um retorno garantido.

O Diretor destacou a necessidade do apoio da Prefeitura, no sentido de garantir a possibilidade de uma parceria no que se refere o transporte dos operários, objetivando equilibrar e equalizar o custo operacional com este passivo, para que na análise da situação financeira, crie-se um equilíbrio para que haja um alinhamento correto em um ambiente favorável, que no passado, assim como o consumo de energia, onerava muito na receita da empresa. Outro tópico importante, se refere à manutenção da estrada de acesso ao frigorífico, construindo uma rotatória em frete a fábrica objetivando a segurança no fluxo das carretas e de veículos de médio e pequeno porte, evitando assim o índice de acidentes na rodovia e naturalmente, a segurança de todos.

Já no universo político, há de notar que existe uma grande mobilização, onde naturalmente tudo começou com a competência e o empenho da administração 2013/2016, que notoriamente, sempre manteve bom relacionamento político, onde inicialmente buscou um diálogo com a presidência da empresa e o apoio de lideranças políticas a exemplo do ministro da agricultura Blairo Maggi, o governador Pedro Taques e outros nomes das esferas municipal, estadual e federal.  enfim, hoje a Minerva Foods está decidida em voltar com as atividades da planta de Mirassol D’Oeste, focada na oportunidade de mercado deixada pelo Grupo JBS. O segmento pecuário representa 15% do Produto Interno Bruto PIB mato-grossense, onde o rebanho bovino do Estado de Mato Grosso mantém um patamar da ordem de 30,2 milhões de cabeças. Com a JBS no olho do furacão da crise política nacional, a Minerva Foods, diante da redução das ações da JBS na Bolça de Valores, ganha impulso e sai a campo para competir de frente e com expressiva vantagem com a fragilidade em que se encontra a empresa de Joesley Batista. Mirassol D’Oeste é vista pela Minerva Foods, como a opção principal no que se refere a tomada de reabertura das plantas frigoríficas na região Sudoeste do Estado, é fato que, o limite máximo de abate na planta do município é em média 1.300 cabeças/dia, no entanto, a empresa retomará as atividades em definitivo no máximo em 60 dias, abatendo em torno de 800 a 850 cabeças/dia inicialmente. 

FERNANDO QUEIROZ, CEO do Grupo Minerva Foods Company, com esta iniciativa, acredita e naturalmente aposta na retomada do crescimento econômico no município de Mirassol D’Oeste e toda a região Vale do Jauru.




Compartilhar: FACEBOOK

CLIMA E TEMPO